Início » Leituras » A utilidade do inútil

A utilidade do inútil

Postado por Cécile Petitgand 14 de abril de 2016 Deixe um comentário

A utilidade do inútil é o título de um Manifesto escrito pelo filósofo italiano Nuccio Ordine com a intenção de denunciar o pensamento utilitarista que está progressivamente contaminando a nossa sociedade. Ao longo de muitos anos de ensino e pesquisa, Nuccio Ordine colecionou citações e pensamentos de grandes autores (de Platão a Gabriel Garcia Márquez) para constituir um texto orgânico e militante sobre os efeitos desastrosos produzidos pela lógica do lucro no campo da educação, da pesquisa e das atividades culturais.

Queria, neste curto post, oferecer para vocês algumas citações provenientes da introdução deste livro fascinante que pode inspirar em cada um o desejo irreprimível de dedicarmos à busca da verdade e do conhecimento sem intenção de ganhar dinheiro ou fama por isso.

AUtilidadeDoInutil¨No universo do utilitarismo, um martelo vale mais que uma sinfonia, uma faca mais que um poema, uma chave de fenda mais que um quadro: porque é facil compreender a eficácia de um ustensílio, enquanto é sempre mais difícil compreender para que podem servir a música, a literatura ou a arte.¨(p.12)

¨O saber apresenta-se por si mesmo como um obstáculo ao  delírio da onipotência do dinheiro e do utilitarismo. É bem verdade que tudo se pode comprar. De parlamentares a juizes, do poder ao sucesso, tudo tem seu preço. Mas não o conhecimento: o preço a ser pago para conhecer é de outra natureza. Nem mesmo uma assinatura num cheque em branco poderá nos dar a permissão de adquirir mecanicamente aquilo que é fruto exclusivo de um esforço individual e de uma paixão que não se esgota.¨(p.16)

¨Especialmente nos momentos de crise econômica, quando as tentações do utilitarismo e do egoismo mais sinistro parecem ser a única estrela e a única tábua de salvação, e preciso compreender que exatamente aquelas atividades que não servem para nada podem nos ajudar a escapar da prisão, e salvar-nos da asfixia, a transformar uma vida superficial, uma não vida, numa vida fluida e dinâmica, uma vida orientada pela curiositas em relação ao espírito e às coisas humanas.¨ (p.19)

Referência: Nuccio Ordine (2013). A utilidade do inútil. Zahar Editora.

Sobre Cécile Petitgand

Cécile Petitgand
Doutoranda em administração na Universidade Paris-Dauphine e na USP, sou apaixonada pelas inovações desenvolvidas pelas organizações que pretendem usar os mecanismos de mercado para resolver grandes problemas sociais e ambientais. Acredito no poder de mudança do empreendedorismo e no grande potencial das novas redes de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *