Início » Impacto social » Por que mensurar o Retorno Social do Investimento?

Por que mensurar o Retorno Social do Investimento?

Postado por Cécile Petitgand 29 de agosto de 2014 Deixe um comentário

retorno-social-do-investimento

Entender como é criado o valor social se tornou essencial tanto para organizações do terceiro setor e governos quanto para empresários e investidores que querem alocar fundos para criar um impacto positivo na sociedade. Para que se possa falar de valor social, entretanto, é preciso que todos os atores utilizem uma linguagem única a fim de que se entendam e possam comparar seus resultados.

O Retorno Social do Investimento (Social Return On Investiment ou SROI, em inglês) foi elaborado para atender essa necessidade, reconhecendo que o conceito de valor é bastante amplo e pode variar conforme os sujeitos, as situações e as culturas.

O que é o Retorno Social do Investimento (RSI)?

O RSI é definido pelo SROI Network como ¨um marco para mensurar e contabilizar este conceito mais amplo de valor; destina-se a reduzir a desigualdade e a degradação ambiental, bem como melhorar o bem-estar, sopesando os custos e benefícios sociais, ambientais e econômicos.¨

O RSI é uma ferramenta que visa avaliar as mudanças, por meio de critérios que são relevantes para as pessoas e as organizações que as experimentam ou participam delas. Este indicador conta como as mudanças são geradas, mensurando os resultados sociais, ambientais e econômicos da organização, e utilizando termos monetários para representá-los. Isto permite calcular a razão custo-benefício de um investimento. Por exemplo, uma razão de 3:1 indica que um investimento de 1 real gera 3 reais em valor social.

O SRI trata de valor; não de dinheiro. O dinheiro é simplesmente uma unidade comum de notação e, como tal, é a forma mais utilizada para expressar valor. Da mesma forma que um plano de negócio contém muito mais que projeções financeiras, o SRI é muito mais que um simples número. Trata-se de uma história sobre a mudança que leva em consideração estudos de caso e informações qualitativas, quantitativas e financeiras.

Para que serve o RSI?

Uma análise SRI pode ter várias utilizações. Seja para planejar ações e melhorar resultados, seja para comunicar o impacto e atrair investimentos, é uma ferramenta essencial para avaliar a criação de valor social.

Todos os tipos de organizações podem usar o SRI. ONGs e empresas sociais sem fins lucrativos podem assim verificar se estão atingindo seus resultados e aprender como melhor controlar suas despesas e aumentar sua performance social. Os negócios sociais e tradicionais, por sua vez, podem utilizar o RSI para aumentar seu impacto social, atrair fundos e criar uma relação de confiança com seus stakeholders (partes interessadas ou involvidas). Investidores de impacto social podem também decidir melhor onde colocar seus fundos a fim de criar o maior impacto por unidade de dinheiro investido.

As etapas do RSI

Realizar uma análise SRI exige seguir 6 etapas:

1. Fixar um objetivo e identificar os stakeholders-chave. É o momento de definir o que vai ser mensurado e com que método. Também é preciso identificar os stakeholders envolvidos e decidir como eles irão intervir no processo.

2. Estabelecer um mapa dos resultados. Através da interação com os stakeholders da organização, será elaborado um mapa do impacto que mostrará a relação entre insumos, produtos e resultados.  O mapa resume como a organização está fazendo uma diferença na sociedade.

3. Destacar os resultados e apontar um valor para eles. Nesta etapa são desenvolvidos indicadores que permitem coletar dados e informações sobre os resultados que estão acontecendo na organização.

4. Estabelecer o impacto. Significa determinar se os resultados são efetivamente vinculados com a própria atividade da organização a fim de deixar o relatório o mais crível e exato possível.

5. Calcular o RSI. É o momento de calcular o valor social dos investimentos juntando todos os custos e benefícios destacados nas últimas etapas do processo de avaliação.

6. Comunicar, utilizar e incorporar. Facilmente esquecido, este último passo fundamental refere-se ao compartilhamento das conclusões com os stakeholders e à solução de eventuais dúvidas. É preciso também incorporar o processo de avaliação de SRI às atividades da organização.

Quer saber mais sobre o RSI?

Baixe aqui o guia do SROI Network sobre o Retorno Social do Investimento.

 

Deixe seu comentário e compartilhe sua opinião sobre essas novas ferramentas para mensurar o valor social.
Siga-nos sempre para descobrir mais análises sobre como melhor avaliar o impacto social dos negócios com propósito.

Bons empreendimentos!

Cécile Petitgand

Sobre Cécile Petitgand

Cécile Petitgand
Doutoranda em administração na Universidade Paris-Dauphine e na USP, sou apaixonada pelas inovações desenvolvidas pelas organizações que pretendem usar os mecanismos de mercado para resolver grandes problemas sociais e ambientais. Acredito no poder de mudança do empreendedorismo e no grande potencial das novas redes de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *