Início » Economia solidária » Mapeando a Economia solidária na América Latina

Mapeando a Economia solidária na América Latina

logo-essas-2

Territorializar o desenvolvimento sustentável, eis a missão do programa ESSAS (Economia Sólidária Sustentável na América do Sul) que se propõe a mapear as inovações de uma nova economia em pleno crescimento.

Apoiado pela União Europeia e pela região Ile-de-France, na França, o programa ESSAS tem como ambição estabelecer uma lista exaustiva de iniciativas solidárias e sustentáveis, que serão plenamene examinadas através uma série de verificações in loco, antes de serem integradas ao mapa.

Objetivos do programa ESSAS

¨Inventariar, classificar, mapear, difundir, compartilhar, discutir, semear e articular, seguindo linhas colaborativas e ligações interativas, as inovações sustentáveis locais da economia solidária que podem contribuir conjuntamente e com  coerência para o crescimento e a sustentabilidade, e permitir a territorialização da sustentabilidade, a  auto-estima dos atores e o desenvolvimento local na América Latina.¨

mapa-economia-solidaria-essas-2

O programa ESSAS de mapeamento quer promover uma economia baseada no princípio da reciprocidade e concebida por pessoas que se associam livremente e respondem civilmente às necessidades locais, criando elos materiais e imateriais e novas relações de solidariedade local. O Programa contemplará inicialmente sete campos chaves :

  • Agricultura rural e urbana
  •  Fabricação de bens a partir da recuperação dos resíduos
  • Comércio
  • Finança
  • Turismo
  • Produção cultural, artística e artesanal
  • Acções culturais,  formativas, educativas ou desportivas

Este mapeamento será posteriormente continuado e ampliado pelos atores da economia solidária e será estendido aos continentes europeu e africano.

Para saber mais: www.apreis.eu/essas/

Sobre Cécile Petitgand

Cécile Petitgand
Doutoranda em administração na Universidade Paris-Dauphine e na USP, sou apaixonada pelas inovações desenvolvidas pelas organizações que pretendem usar os mecanismos de mercado para resolver grandes problemas sociais e ambientais. Acredito no poder de mudança do empreendedorismo e no grande potencial das novas redes de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *