Início » Economia solidária » Economia solidária: as Bordadeiras do Jardim Conceição

Economia solidária: as Bordadeiras do Jardim Conceição

Postado por Cécile Petitgand 11 de agosto de 2015 Deixe um comentário

bordadeiras-do-jardim-conceição

As Bordadeiras do Jardim Conceição é um grupo de costura que faz parte da Rede Costura Solidária SP, uma iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE), em parceria com a Unisol Brasil, que faz parte do projeto Economia Popular e Solidária e Empreendedorismo como Estratégia de Desenvolvimento.

O Instituto Ecotece, que é também coordenador da Rede de Costura, me facilitou o acesso a estes grupos da economia solidária para conhecê-los melhor e me familiarizar com suas lindas produções de artesanato. Venha comigo descobrir a história e o trabalho das Bordadeiras do Jardim Conceição, em Osasco.

 

 

História das Bordadeiras do Jardim Conceição

Com agulha, linha e tecido, 40 donas de casa do Bairro Jardim Conceição em Osasco, na Grande São Paulo, dão vida a almofadas, toalhas, bolsas, necessaire e outras peças de enxoval com bordados inspirados na natureza.

Tudo começou em 2008 com um curso de bordado oferecido pela Fundação Bradesco, que, além de ensinar várias técnicas de bordado, ofereceu capacitação em gestão empreendedora. Inicialmente as que já sabiam bordar se interesseram e, aos poucos, até mesmo as mulheres que não sabiam nada sobre bordados, entraram no curso, entraram no curso que passou a conta com a coordenação do designer Renato Imbroisi. Assim elas aprenderam a dominar todo o processo – do traçado do desenho ao acabamento – e revelaram-se exímias bordadeiras, produzindo renda extra para a família.

almofadas-bordadeiras-jardim-conceição

Meu encontro com três bordadeiras

Tive o imenso prazer de entrevistar três bordadeiras: Rozeli, Sônia e Maria, durante minha visita do seu local de costura em Osasco.

As mulheres relembraram com muita emoção a primeira feira em que foram vender suas peças bordadas. A Rozeli me contou: ¨Quando a gente participou da feira, a gente ficou até assustada porque não sabíamos até onde foi a divulgação de nosso trabalho. Uma pessoa chegou, conversou com a gente com os olhos cheios de lágrimas. A gente não sabia o que fazer. Cada pessoa sente o artesanato de uma forma diferente. Esta pessoa viu tudo e se encantou bastante com nosso trabalho. Queria ficar o mais próximo possível da gente. Ficou até três horas sentada com a gente.¨

necessaire-bordadeiras-jardim-conceição

A Maria relembrou também o momento quando foi entregue para elas o primeiro catálogo apresentando as produções do grupo: ¨A gente nunca tinha visto o catálogo. Quando chegou para aprovação, a gente não acreditou, parou tudo, aquela coisa linda e maravilhosa, a gente começou a folhar e começou a chorar.¨

catalogo-bordadeiras-do-jardim-conceição

Junto com o Instituto Ecotece, acompanhei o processo artesanal de decoração dos tênis da marca ecológica Vert pelas Bordadeiras do Jardim Conceição. 5 mulheres aplicaram bordados em alguns tênis da marca, criando assim peças originais e estilosas. Os frutos desse trabalho estarão na exposição “Design, Artesanato e a Cidade”, de 10 a 16 de agosto, no Conjunto Nacional da Avenida Paulista.

Para saber mais sobre o trabalho das Bordadeiras, acesse o site: www.bordadeirasdojardimconceicao.com

Sobre Cécile Petitgand

Cécile Petitgand
Doutoranda em administração na Universidade Paris-Dauphine e na USP, sou apaixonada pelas inovações desenvolvidas pelas organizações que pretendem usar os mecanismos de mercado para resolver grandes problemas sociais e ambientais. Acredito no poder de mudança do empreendedorismo e no grande potencial das novas redes de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *